Quem sou eu?

Olha só o que temos aqui…
A curiosidade matou o gato, sabia? Mas se você quer mesmo correr o risco, vamos seguir, né?
Já que você está aqui, vou te contar um pouco mais sobre mim:

IMG_0018
 

Meu nome é Stella da Costa Marques Princesa Diamante. Nasci na capital mineira, mas vivi a maior parte da minha vida no interior de Minas (uai, é mesmo?) e morei durante um ano no interior do Ceará (valha, é o que homi?). Agora, estou novamente na capital mineira (Óprôcêvê eu não paro num lugar só). Tenho 22 anos, sou virginiana, tenho poucos centímetros de altura (é agora que a gente usa aquela expressão? nos menores frascos é que estão as melhores essências?), alguns parafusos a mais, diversos sentimentos dentro do peito e muitos sonhos a realizar.

Sou graduada em Marketing e estou cursando Publicidade e propaganda no Centro Universitário UNA. Também sou Técnica em Comércio pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro.

 

Tá, mas e a poesia?

Eu descobri a poesia em uma aula de Português. Minha professora, na época, estava explicando sobre sonetos, falou sobre a métrica, número de versos por estrofe e rimas. Na ocasião, ela disse que sonetos são muito difíceis de serem escritos devido à sua estrutura. Eu tomei isso como um desafio e assim, comecei a escrever. Nunca consegui escrever um soneto… Parece que a professora tinha razão, é bem complicado escrever um soneto. Mas acabou que, no processo de tentativas, despertei a poesia que havia em mim e deixei ela transbordar pelo papel como quisesse, sem número certo de versos ou estrofes, apenas o meu coração, o papel e a caneta.

Agora vem a questão: eu escrevo a poesia ou será que ela me escreve?

Em 2015, ganhei meu primeiro concurso de poesias, foi um sonho realizado ver minha poesia favorita fazendo parte de um livro. Você pode ler mais aqui.

Nos anos seguintes ganhei mais três concursos nacionais também pela editora Vivara. Você pode ler mais aqui sobre um dos concursos aqui e sobre o outro aqui.

Já em 2018 consegui publicar minha primeira coletânea de poesias. O grupo de poetas Tod’Arte esteve comigo durante a criação da obra, me ajudando em tudo.
Você pode ver e comprar meu livro aqui.

Ainda em 2018, publiquei três poemas na antologia poética Vidas na Ponta da Caneta. Organizada pelo grupo Tod’Arte. Você pode ler mais aqui.

Além disso, por volta de 2018, participei de uma coletânea de versos produzida pelo grupo Tod’Arte. Você pode ler mais aqui.

Em 2019, ganhei outro concurso nacional de poesias, só que desta vez pela Editora Trevo. Você pode ler mais aqui.

Em 2020, coordenado pela professora Geannetti, minha poesia foi publicada em um e-book pelo Centro Universitário UNA, leia mais aqui.

FB_IMG_1560908705726

                          Foto: Bruna Yandra